Rss Youtube Facebook Twitter Instagram LinkedIn
Blog AndersonBrandao.com.br

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Por que viciamos em açúcar e qual a consequência do consumo exagerado?

O açúcar é um alimento rico em carboidrato, o que faz com que seja uma excelente fonte de energia para o organismo. O aumento da sua concentração no sangue faz com que o corpo libere insulina para que volte aos níveis normais, por meio da absorção pelas células.

O consumo de açúcar promove reações no cérebro, mais especificamente no centro de prazer e recompensa. Por isso, quando comemos um alimento rico em açúcar (por exemplo, o chocolate) sentimos prazer e bem-estar. Isso se dá pelo aumento da dopamina, hormônio responsável por essa sensação. O cérebro entende esse mecanismo como prazer e recompensa e, por isso, continuará buscando pelo que gera esses sentimentos.

A combinação das interações da insulina com a dopamina cria um circuito denominado  "looping do açúcar". Ao ingerir açúcar, a insulina e a dopamina aumentam e à medida que o alimento é digerido esses hormônios retornam aos níveis normais. Esse ciclo causa a saciedade e, assim, as sensações de prazer e bem-estar vão embora. Com isso, a pessoa volta a ficar com fome e a buscar aquele sentimento de prazer.

É um sobe-desce hormonal que tem sérias consequências. No cérebro, em 3 semanas, o excesso do açúcar leva a uma diminuição dos receptores da dopamina. Por isso, aquela quantidade de açúcar não é mais capaz de gerar a mesma sensação de prazer, fazendo com que a pessoa aumente a quantidade ingerida.

A partir daí é um ciclo que não tem fim, vira uma bola de neve. O aumento gradativo do açúcar cria um ambiente viciado, com grandes oscilações de insulina resultando em um organismo propenso ao sobrepeso ou obesidade, com altos riscos de desenvolver diabetes.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Feed