Rss Youtube Facebook Twitter Instagram LinkedIn
Blog AndersonBrandao.com.br

quarta-feira, 10 de maio de 2017

Whey Protein: O que é? Para o que serve?

A proteína é uma das principais estruturas constituintes do corpo humano. Ela é essencial para a formação e reparo dos músculos e tecidos e para a produção de enzimas e hormônios.

Presente em carnes e em produtos de origens animal, como ovos e leite, e vegetal, como leguminosas e cogumelos, a qualidade das proteínas varia e é afetada pela sua digestão. A proteína vegetal, por exemplo, é menos digerida do que a animal, pois está ligada a parede celular dos carboidratos, ficando assim menos disponível para as enzimas digestivas.

Essa variação na absorção das proteínas deve ser bem administrada para que não ocorra a ingestão inadequada, o que pode aumentar o metabolismo proteico e, consequentemente, levar o organismo ao catabolismo muscular, à intolerância ao treinamento e à recuperação tardia. 

Na busca deste equilibro, muitas pessoas usam o Whey Protein. Mas afinal o que é esse suplemento?

O Suplemento
O Whey Protein é a proteína do soro do leite. Considerada uma proteína de alto valor biológico, ela é naturalmente abundante em BCAA´s (Aminoácidos de Cadeia Ramificada), que por sua vez aumentam a síntese proteica, auxiliando a construção e a recuperação dos músculos após os exercícios.

A suplementação com whey protein quando associada ao treinamento de resistência pode melhorar a adaptação fisiológica inerente a este tipo de atividade. Estudos sugerem que a mistura de uma fonte de carboidrato associada ao whey protein consumida 1h após os exercícios de resistência, resultam em um aumento significativo da síntese proteica.  E quando consumida 30 minutos antes da atividade física, esta suplementação aumenta significativamente os níveis de hormônio de crescimento, testosterona, ácidos graxos livres e insulina, promovendo o ambiente anabólico necessário para o crescimento muscular. 

Além disso, a proteína do soro do leite ajuda a fortalecer o sistema imunológico, diminuindo as chances de infecções, gripes e resfriados.

Tipos de Whey Protein

Existem diversas marcas e tipos de Whey Protein. Os mais conhecidos são o Concentrado, o Isolado e o Hidrolisado. O Whey Protein Concentrado (WPC) apresenta de 30 a 90% de proteínas, sendo o restante composto por gorduras e carboidratos (entre eles a lactose, que é o açúcar do leite). No Whey Protein Hidrolisado as moléculas de proteína são hidrolisadas, ou seja, são “quebradas” em frações menores, o que torna mais fácil a sua digestão e absorção. Já no Whey Protein Isolado (WPI), o processo de isolamento da proteína remove uma grande quantidade das impurezas e o produto geralmente é isento de gorduras, carboidratos e lactose. Por isso, pessoas que apresentam intolerância à lactose devem sempre optar pelas formas isoladas do Whey Protein.

Para uma indicação mais adequada, consulte um nutricionista pois além de sugerir a melhor opção para seu organismo, esse profissional pode incluir o Whey Protein no seu plano alimentar de forma equilibrada.

Para aumentar a massa muscular ou para emagrecer?


Os dois! O whey protein é bastante conhecido por seu uso para o aumento da massa muscular. Porém, no processo de emagrecimento este suplemento também pode ser muito benéfico. Isso ocorre pelo fato de ser  fonte de proteína, o que ajuda no controle do apetite, já que essas proteínas estimulam a liberação de um hormônio que sinaliza a saciedade.

Além da saciedade, o whey protein também acelera o metabolismo por ajudar na formação da massa muscular e prevenir a sua perda. A proteína tem ainda um alto efeito termogênico em sua digestão, por ser rica em leucina, o que ajuda na queima de gorduras.

Outro fator importante no emagrecimento é  o equilíbrio na insulina. Apesar do whey protein ter baixo impacto nesse hormônio, as dietas ricas em proteínas costumam aumentar a sensibilidade da insulina.

Portanto, vale a pena usar esse suplemento também para emagrecer, mas lembre-se de buscar orientação de um nutricionista.


Atenção

Antes de comprar, observe a composição pois muitas vezes o produto tem nome de ‘Whey’, mas ao analisar os ingredientes encontrados sob o título “informação nutricional” no rótulo da embalagem você descobre, por exemplo, que foram adicionadas outras fontes de proteína, como albumina e proteína da soja. Portanto, se o produto possui mais de uma fonte de proteína (que não seja a proteína do soro do leite) em sua formulação, você já sabe que não é 100% Whey Protein. É importante ficar atento a isso para comparar, verdadeiramente, qualidade e preço entre as diferentes marcas e produtos disponíveis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Feed